Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/12/13 às 12h26 - Atualizado em 3/01/19 às 14h58

Fundurb: dinheiro liberado pelo fundo leva cultura e lazer à população

O Fundo de Desenvolvimento Urbano do Distrito Federal, Fundurb, liberou, ao longo de 2013, quase R$ 35 mi para obras necessárias à cultura, educação, patrimônio histórico, lazer e  mobilidade urbana.  O Fundurb é administrado pela Secretaria de Habitação, Regularização e Desenvolvimento Urbano, a Sedhab.
Uma das principais obras a receber dinheiro do Fundurb este ano foi a reforma do Cine Brasília, marco cultural da capital do país. Foram R$ 3 mi que o fundo liberou para serviços de impermeabilização, instalação de para-raios, troca das instalações elétricas, hidráulicas, mecânicas e de todo o sistema de ar-condicionado. O espaço ganhou rampas de acesso, poltronas para obesos, lugares para cadeirantes e piso tátil para atender às exigências da Lei de Acessibilidade.

O patrimônio histórico também foi contemplado. A reforma ou mesmo a reconstrução de três igrejas tradicionais do DF receberam mais de R$ 1 mi. A de São Sebastião, em Planaltina, foi entregue em outubro, e agora em janeiro a população da Candangolândia terá de volta a igreja de São José Operário, e a do Paranoá, a de São Geraldo. Esta última precisou ser totalmente reconstruída, já que o descaso de outras administrações do GDF levarou o templo à total destruição.

No universo da mobilidade urbana, três obras merecem destaque: a de ajuste viário e acessibilidade no Setor Comercial Sul, que recebeu quase R$ 2 mil do Fundurb e será entregues ainda no primeiro semestre de 2014, e a construção da ponte sobre o Córrego Vicente Pires, para melhorar o trânsito na Via Estrutural. O custo foi de R$ 3 mi.

Também em 2013, o lazer e a convivência receberam atenção do Fundurb. Cidades como São Sebastião, Paranoá e Gama, e bairros como o Lago Norte, vão ganhar praças, parques e centros voltados para idosos ou jovens. Nessas obras, o GDF vai investir cerca de R$ 12 mi, dinheiro liberado pelo Fundurb. “O Fundurb tem a função de permitir obras que normalmente são difíceis de fazer pelo orçamento do GDF. Obras como as de acessibilidade e reforma de igrejas certamente não seriam feitas, como não foram no passado, se não tivéssemos esses recursos dos Fundurb. É importante para democratizar alguns espaços como espaços culturais, porque são áreas em que o governo geralmente não tem recursos para colocar, pois precisa colocar dinheiro na educação, na saúde, na segurança”, observou o secretário Geraldo Magela.

O conselho do Fundurb é composto de nove conselheiros que representam o governo e a sociedade civil. A liberação do dinheiro é aprovada de acordo com a importância para a população da obra a que ele se destina.