gototop
SEGETH
FacebookTwitterYoutube
Vlibras Aumentar Contraste Cores Originais

Ascom

Desde 2015, 29.132 documentos foram emitidos no DF. Cerimônia integra a programação de aniversário de 24 anos da região administrativa

Por apostar na modalidade de concurso público para projetos de arquitetura destinados a moradias, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (CODHAB) receberá, pela primeira vez, o prêmio nacional do Selo de Mérito da Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação.

O reconhecimento será feito durante o Fórum Nacional de Secretários de Habitação e Desenvolvimento Urbano, de 21 a 23 de agosto, em São Paulo.

Na categoria em que concorreu com outros 14 inscritos —Ações, Planos e/ou Programas de Habitação de Interesse Social —, a companhia do DF está entre os cinco vencedores (não há colocação entre eles).

Para o diretor-presidente da CODHAB, Gilson Paranhos, a escolha por concurso público é um meio efetivo de enfrentamento à corrupção: “Para comprar uma caneta, você sabe o que é. Em um projeto, você compra algo antes do objeto. Quando não se faz por concurso público, não se sabe o que está comprando”, exemplifica.

Desde 2015, segundo Paranhos, toda contratação de projetos da companhia — um total de 10 — é feita por meio de concurso público.

Arquiteta e assessora técnica da associação que promove o selo, Cecília Parlato afirma que todos os anos as categorias são adequadas de acordo com as demandas do setor de habitação social.

Para ela, o mérito da CODHAB está nos melhores resultados alcançados com a modalidade concurso público.

Segundo Cecília, essa categoria é essencial por revelar ideias capazes de mudar a realidade. “Geralmente, as companhias pegam um funcionário, que faz um projeto e pronto. O concurso público quer mudar isso. Quer dar mais qualidade de habitação”, opina.

Um dos fatores que influenciam na qualidade do que será entregue à população é a concorrência. “Em uma licitação, aparecem uns cinco concorrentes. No concurso, são cerca de cem”, compara o diretor-presidente da CODHAB.

A comissão julgadora do selo foi formada por seis instituições: Ministérios das Cidades e do Planejamento, Caixa Econômica Federal, Conselho de Arquitetura e Urbanismo, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de Brasília e Câmara Brasileira da Indústria da Construção.

No fórum, todos os projetos vencedores serão apresentados em mesas de discussão. A proposta é que haja uma troca entre os representantes de todo o País e que as melhores ideias e práticas sejam difundidas.

Fonte: Agência Brasília

Siga nossas redes

Facebook: sec.gestaodoterritorioehabitacaodf

Twitter: @Habitacao_DF

Youtube: Segeth Ascom

Web: www.segeth.df.gov.br

O Governo de Brasília, por meio da Secretaria de Gestão do Território e Habitação (Segeth), abre Consulta Pública para debater as diretrizes do Aluguel Legal, um dos eixos de atuação do Habita Brasília. A consulta online estará disponível no site da Segeth entre os dias 24 de julho e 11 de agosto de 2017.

No Habita Brasília, o Aluguel Legal destina-se às famílias inscritas na lista da CODHAB que se encontram em ônus excessivo com aluguel, isto é, que ganham até 3 salários mínimos e que gastam mais de 30% da renda com aluguel.

Por meio deste eixo, o governo oferecerá moradia próxima a empregos e a serviços públicos, com valores mais baixos do que os praticados no mercado de locação. Os participantes deste programa continuam na lista de atendimento habitacional, aguardando ser contemplados em outra modalidade.

O objeto para consulta poderá ser acessado, no link abaixo:

http://www.segeth.df.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=536

No dia 08 de agosto, às 9 horas, será realizada será realizada a consulta presencial, na Segeth.

Serviço

Consulta Pública Online

De 24 de julho a 11 de agosto

 

Consulta Pública Presencial

Dia 08 de agosto

Às 9 horas

Sala de Reuniões, 2ª andar, na Segeth

SCS QUADRA 06 LOTES 13/14 BL. A

 

A CODHAB realizou, na tarde dessa segunda-feira (10), reunião com os líderes eleitos das entidades credenciadas junto à Companhia e o conselheiro Francisco Dorion, para discutir a resolução que trata da venda de lotes e áreas às associações e cooperativas por sorteio.

Durante o encontro, ficou definido que o sorteio, modalidade aprovada por unanimidade pelos presentes, não será eletrônico, mas realizado com a utilização de globo e esferas, que conterão um número correspondente a cada entidade participante que tenha manifestado interesse pela aquisição do terreno.

Para compor a comissão que realizará o sorteio – cada um deles irá ocorrer de forma pública, com ampla divulgação –, serão convidados, em cada evento, cinco presidentes de associações e cooperativas  presentes no local.

Além disso, ficou definido que para unidades unifamiliares, os grupos para sorteio serão compostos por, no mínimo, dez lotes. No caso de unidades multifamiliares, o sorteio contemplará somente uma entidade, que será a responsável integral pela aprovação, execução dos projetos e das obras, e pela entrega do empreendimento.

Um ponto polêmico sobre as regras previstas na resolução foi pacificado na reunião. Ele diz respeito às entidades credenciadas que já tenham empreendimentos em andamento na CODHAB e que não poderiam participar dos sorteios até que fosse superado tal impedimento. “Agora, foi decidido que elas podem participar, sim,  depois que as outras credenciadas tenham sido contempladas”, explicou o diretor Imobiliário da Companhia,  Jorge Gutierrez.

A entidade credenciada que não manifestar interesse em participar de seis sorteios seguidos será considerada atendida pela CODHAB. Mas, segundo Gutierrez, a regra não vale se a referida entidade ou entidades estiverem em localidades em que não houve oferta de áreas ou lotes. “Nesse caso, ela pode continuar participando dos sorteios”, esclareceu.

Outros itens da pauta da reunião foram aprovados por unanimidade entre os presentes. Como os casos que prevêem que a entidade credenciada sorteada que não assinar o Termo de Aceite ou que não cumprir os prazos previstos na resolução será considerada atendida. Quem não cumprir o prazo também será considerado desistente e estará sujeito às penalidades previstas no documento.

Ficou definido ainda que as áreas e lotes em que não houver entidades interessadas em participar do sorteio serão novamente ofertadas, sendo permitido que todas as 229 credenciadas participem.

Por fim, a reunião previu que dentro dos lotes unifamiliares sorteados para as entidades será construída uma casa em regime de mutirão. A propriedade será custeada pelas credenciadas e o beneficiário será sorteado entre os associados ou cooperativados mais carentes, e que serão indicados pelas próprias entidades.

Veja aqui a íntegra da ata da reunião.

Fonte: CODHAB

Siga nossas redes

Facebook: sec.gestaodoterritorioehabitacaodf

Twitter: @Habitacao_DF

Youtube: Segeth Ascom

Web: www.segeth.df.gov.br

Ação faz parte do programa Habita Brasília

75% dos moradores são a favor da regulamentação do trabalho em casa, 44% são favoráveis à lei sem restrições e 31% acreditam que essa autorização deve ser apenas para algumas atividades

A expectativa do executivo é encaminhar o projeto de lei no início da próxima sessão legislativa

 Depois de esperar 28 anos, a moradora Francineide Ferreira recebeu o documento 

Governador participou da abertura do evento

Contribuições online acontecem até o dia 14

Atualização pode ser feita por aplicativo

Amanhã é a vez de Planaltina

Recanto das Emas e SCIA realizam nesta quinta-feira as Consultas Públicas Presenciais sobre a Lei de Uso e Ocupação do Solo (LUOS). As reuniões acontecerão nas 24 Regiões Administrativas abrangidas pela lei e estão sendo promovidas pelo Governo de Brasília, por meio da Secretaria de Gestão do Território e Habitação e Secretaria de Cidades.

Qualquer pessoa pode participar das reuniões. Para conhecer o que está sendo proposto para sua região e seu endereço, acesse: http://www.segeth.df.gov.br/index.php?option=com_content&;;;;;view=article&id=469

Lá, também estão disponíveis informações sobre todas as fases do processo de elaboração da LUOS, conduzido pela Segeth.

Com a LUOS, as Regiões Administrativas terão uma legislação atualizada para melhor atender as necessidades de sua população. A norma irá definir com clareza onde e como as atividades econômicas poderão ser instaladas, de forma a não trazer incômodos a vizinhança e à qualidade de vida dos moradores. Também serão simplificadas as regras que definem como edificar, a exemplo de altura, metros quadrados máximo de construção e recuos, entre outros, com benefício para quem quer construir ou reformar.

Numa construção transparente da LUOS e envolvendo a sociedade civil, a Segeth já realizou duas audiências públicas, três consultas virtuais e criou um Câmara Temática, com integrantes da sociedade civil, que colabora na elaboração do projeto de lei.

A rodada de consultas públicas presenciais nas Regiões Administrativas acontece entre os dias 17 de junho e dia 1º de julho e funcionará como uma prévia para a terceira e última audiência pública da LUOS, prevista para 15 de julho.

Serviço

Consulta Pública Presencial nas Administrações Regionais do Recanto das Emas e do SCIA.

Data: 29/06

Locais e horários:

Recanto das Emas - Escola CF 301. (Horário: 19h às 22h)

SCIA - Auditório da Biblioteca Pública da Estrutural, Área Especial 20. (Horário: 19h às 22h) 

Confira o calendário das Consultas Públicas Presenciais:

Siga nossas redes

Facebook: sec.gestaodoterritorioehabitacaodf

Twitter: @Habitacao_DF

Youtube: Segeth Ascom

Web: www.segeth.df.gov.br

 

Página 1 de 73
nosurbanos
habita
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Comunicação Notícias Ascom